MILLENNIALS COMPRESSORES…AHN? por Camila Jin Ahn

Após uma semana de mini férias, volto aqui com a minha pauta de saúde mental e o Setembro Amarelo, a campanha de conscientização sobre a prevenção ao suicídio. Uns dias antes de viajar, participei de uma sessão muito legal da WGSN sobre o Futuro Consumidor de 2021 com a Petah Marian, editora de tendências da empresa. Conversando sobre vários tipos de perfis de consumidores, ela comentou sobre os “Compressionalists”, ou “Compressores”. Quando escutei a definição deles, pensei: Meu Deus, sou eu hahaha.

O Futuro Consumidor de 2021 sente a pressão do planeta estar a beira de uma ruptura, principalmente quando se trata de como nos adaptaremos as mudanças climáticas e a troca de poderes entre as gerações que envelhecem e as gerações mais jovens. Dentro deste contexto, existem alguns perfis de consumidores e um deles são os Compressionalists. Eles são compostos majoritariamente por Millennials e são considerados “Feelers”, ou seja, “aqueles que sentem tudo”. É um grupo estressado por tentar resolver várias coisas ao mesmo tempo sem atingir o objetivo desejado na velocidade desejada, por isso querem processos de compra mais eficientes e eficazes.

Resumo do Google sobre os Millennials: também chamados de Geração Y, são aqueles que nasceram entre 1979 e 1993 e a primeira geração a ter mais contato com tecnologias e a globalização.

Os Millennials recebem muitos rótulos como mimados, narcisistas e procrastinadores. Porém muitos estudos mostram que as pressões diárias da Geração Y são maiores do que os de seus antecessores, os Baby Boomers. Eles foram os primeiros a sofrerem com o problema da atenção se tornar uma commodity cara, devido aos estímulos que ganharam com a tecnologia e as redes sociais. Além disso, sofrem as consequências da cultura do capitalismo extremo do século XX que levou a crises financeiras como a de 2008 e influenciou drasticamente os problemas ambientais de hoje.

Por serem filhos de gerações que visavam o sucesso financeiro como sucesso de vida, os Millennials trabalham muitas vezes em função deste objetivo. Nada errado em gostar de dinheiro para ter menos preocupações com o futuro, porém é nessa hora que os Compressionalists se sentem frustados. A tecnologia trouxe a pressão de likes nas selfies, mas também trouxe conscientização rápida das notícias do mundo para a Geração Y. Hoje, questionamos se o nosso local de trabalho visa diversidade, cuidado com o meio ambiente, filantropia, bem estar do funcionário e muitos outros fatores que antes não eram considerados.

Entretanto, tudo isso tem um preço e no final você tem que bater sua meta de vendas, custe o que custar para defender seu cargo e valor na empresa. Neste momento, vem aquela contradição e hipocrisia interna que leva a pressão “como ajudo o meio ambiente, mas bato minha meta também?”, por exemplo. A falta de tempo para gerenciar esta pressão, pressão familiar, amorosa e de amigos, pressão do Instagram e pressão de cuidar de você mesmo gera a famosa ansiedade que pode levar a depressão e síndrome de Burnout (esgotamento físico e mental). Para termos uma noção, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o Brasil é o país com a maior taxa de ansiedade do mundo, atingindo 9,3%, ou seja, quase 10% da população.

Fonte: instagram.com/ellopudge

Você parou para pensar como está se sentindo hoje? Atrasado com as tarefas? Pensando quais as prioridades de hoje? Cansado de ter que priorizar tudo e não saber onde começar? Cesar Gaglioni do Nexo Jornal resumiu o ensaio de Byung-chul Han e a “Sociedade do Cansaço”. O filósofo coreano comenta sobre o excesso de positividade e necessidade de eficiência constante na produtividade em todos os aspectos da vida da sociedade atual e como somos instigados a acreditar que todas as metas são alcançáveis. Han exemplifica estes ideais com slogans de campanhas como o “Just Do It” (“Simplesmente Faça”) da Nike e o “Yes, We Can” (“Sim, Podemos”) do Barack Obama.

Esta síndrome de “Super-Homem/Mulher Maravilha“ de fazer tudo com 100% de dedicação causa uma fadiga extrema porque você sempre sente que está falhando ou que há algo melhor ou a mais que poderia fazer sobre determinado assunto. O famoso: “quero abraçar o mundo mas não consigo”. Voltando aos Compressionalists, eles são os maiores problemas da cultura do cancelamento. No multitasking (realizar múltiplas tarefas ao mesmo tempo) do dia a dia, eles acabam dizendo “sim” a tudo e no final cancelam várias coisas de última hora, voltando a este ciclo vicioso de meta não atingida e se sentindo mais ansiosos e mais depressivos.

Sentindo-me em um tipo AA da vida, venho confessar: oi, meu nome é Camila e sou uma Millennial Compressora desde que comecei minha carreira profissional. Sou diagnosticada com ansiedade e depressão há 3 anos e aprendi a aceitar que não preciso ser feliz e produtiva 100% do tempo. Às vezes, estamos cansados de estar cansados e a gente só quer um silêncio. Somos tão focados em ter um propósito em todas as tarefas que realizamos, mas perdemos este mesmo foco com estímulos em tantas telas e pessoas ao nosso redor. Precisamos de um filtro como mencionei no meu texto sobre a minha Dieta Visual. E não é um filtro do Instagram.

Uma foto da minha viagem representando como respirar algo diferente é necessário de vez em quando.

Apesar do Brasil ser o país que mais sofre de ansiedade no mundo, aceitar que isto é um problema ainda é utabu gigantesco para a nossa cultura. Peço com carinho para você analisar como está se sentindo hoje e como as pessoas em sua volta estão se sentindo também. Muitos de nós temos medo de admitir que estamos sobrecarregados e sofremos em silêncio. Não subestime seu cansaço e sua ansiedade. Cuidar da sua saúde mental é como cuidar do seu corpo, ter uma rotina de academia, beleza, Netflix, meditação. Ou uma rotina de momentos de tédio mesmo, tirar algumas horas da sua semana e ter o prazer de não fazer nada. Meu maior privilégio é quando posso dormir com o celular desligado, ou seja, nenhum alarme para o dia seguinte. Qual o seu?

***Se você ver alguém que precisa de ajuda, o telefone 188 fornece apoio para quem precisa conversar ao cogitar cometer suicídio. Ele vale em todo território nacional, compartilhe essa informação e ajude outros a pedirem ajuda.

 

 

Já que sou uma Millennial dos anos 90, fiz uma playlist cheia de músicas da década:

 

 

PDF da WGSN sobre o Futuro Consumidor de 2021: https://lp.wgsn.com/form-nrf-techfy19q2.html
Brasil é o país mais ansioso do mundo, segundo a OMS: https://exame.abril.com.br/ciencia/brasil-e-o-pais-mais-ansioso-do-mundo-segundo-a-oms/
Texto do Nexo – Por que vivemos na sociedade do cansaço: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/08/27/Por-que-vivemos-na-sociedade-do-cansa%C3%A7o-segundo-estefil%C3%B3sofo
Trailer – Burnout Society Byung-Chul Han in Seoul/Berlin: https://www.youtube.com/watch?v=_LAWXSopiBo

 

MILLENNIALS COMPRESSORES…AHN? por Camila Jin Ahn

Sobre o autor
-